Ver Resposta Única
  #1  
Antigo 15-09-2010, 23:16
Avatar de zico
zico zico está offline
Fundador
 
Data de Entrada: Sep 2008
Mensagens: 10.553
Padrão Uma exposição da Porsche em 1975

Ultimamente tem havido algumas efemérides em torno de Ferdinand Porsche, tais como a celebração dos seus 135 anos e a celebração dos 100 anos da sua vitória numa prova desportiva. Eu reconheço que não serão os temas mais populares nos dias que correm, mesmo num fórum da Porsche como este, mas ainda assim, sinto-me compelido a ir partilhando alguns registos daquele que foi a figura mais proeminente da história da nossa marca. E o material deste tópico que aqui deixo, diz respeito a uma outra celebração da pessoa de Ferdinand Porsche, mas que aconteceu há precisamente 35 anos, decorria, então, o ano de 1975.
Tratou-se da celebração dos “100 anos de Ferdinand Porsche”. Julgo que o que poderá ser aqui interessante, é a possibilidade de podermos realizar o exercício da comparação entre estas duas épocas tão distintas e distantes (a passada e a presente) e verificarmos as enormes diferenças que existem entre a Porsche “antiga” e a Porsche “moderna”.
A Porsche “antiga” era muito mais romântica, mais desprendida do marketing e não tinha pudor em assumir o seu passado. Mas, mais do que isso, praticava convictamente uma saudável e salutar veneração pela memória dos seus principais ícones. Coisa que nos dias de hoje infelizmente não acontece, como foi o facto de ao 135.º aniversário de Ferdinand Porsche nem sequer ter sido dispensado um singelo “Press Releases”. Neste aspecto, justiça seja feita a quem dessa efeméride se lembrou, e não só, alguns até se dispuseram a celebrá-la publicamente, como foi o caso do Porsche Clube de Portugal, que organizou um jantar evocativo de tão importante data para nós Porschistas.
Em 1975 era tudo muito diferente. Quando se atingiu o Centenário do nascimento do Professor Ferdinand (Ferdl para os amigos), a Porsche, AG associou-se à Universidade de Stuttgart para o homenagear. Embora estivessemos em 1975, em pleno apogeu desportivo da marca, a Porsche, AG fez questão de não trazer à lide nenhum dos seus Porsches pós-Porsche que nessas épocas tantos triunfos conseguiam alcançar pelas pistas de todo o mundo. A exposição “limitou-se apenas” a reunir automóveis e elementos contemporâneos da vida de Ferdinand Porsche. E o que isso significou na prática é que a exposição teve muito pouco da marca Porsche, mas teve muito do génio de Ferdinand Porsche (o contrário do que acontece no presente). A Universidade aproveitou para realizar palestras sobre diversos trabalhos técnicos que discutiu publicamente, tais como os que versaram sobre os veículos pesados engendrados durante décadas pelo Professor (nomeadamente aqueles que integraram a categoria de transportes públicos). Mas não só, foram também discutidos em palestra os tanques de guerra; os carros de corrida do regime nazi e o carro que foi criado para distribuír pelo povo: o Volkswagen. Todos eles, claro, “ mais ou menos” compreensivelmente temas tabu nos dias que correm. Dou a mão à palmatória e sou forçado a dizer que compreendo a frieza destes tempos modernos. Ou não venerasse eu o “GT3”, o verdadeiro PANZER desta Porsche moderna e provavelmente o melhor carro do mundo. A globalização obrigou-nos a encarar a realidade do nosso dia-a-dia de forma muito mais eficiente e agressiva. Ainda assim, não aceito que a Porsche não festeje a memória do seu criador. Dito isto, já aceito que a festeje enfeitando-a com Panameras.

No que toca aos automóveis da exposição de 1975 que reproduzo abaixo, como não dispunha de qualquer legenda da imagem (que também não é grande coisa em termos de qualidade), identifiquei os automóveis segundo julgo saber. Se me enganei em algum, por favor corrijam-me.


Foto: a Universität Stuttgart, local da festa dos “100 anos”, onde se realizaram as palestras e a exposição dos automóveis.



Foto: A descrição da exposição. Curiosamente, em quase todas as celebrações dos “100 anos de Ferdinand” (só na Austria realizaram-se duas) o carro escolhido com destaque foi o Lohner-Porsche da exposição de Paris.






Foto: os oradores foram diversos, começando pelo Reitor da Universidade:



Foto: Ulf Essers divulgou e explicou os testes que Ferdinand Porsche empreendeu aquando da criação do Volkswagen, como é disso exemplo o gráfico que se vê nas suas costas e que abaixo se reproduz.






Foto: a Ferry Porsche, à data com 66 anos, coube-lhe a honra de abrir a exposição:






Foto: muito interessante foi o “curriculum vitae” que a Universidade elaborou de Ferdinand Porsche, composto por três diferentes tabelas:


Tabela n.º 1: Ferdinand Porsche: feitos na Indústria Automóvel.

Tabela n.º 2: Ferdinand Porsche: honras académicas, prémios pessoais enquanto piloto.

Tabela n.º 3: Ferdinand Porsche: dados pessoais e estudos.


Foto: O Lohner-Porsche hybrid de 1900, também conhecido como a “cadeira”:



Foto: O magnífico Austro-Daimler ADS R ''Sascha''de 1922.



Foto: isto sim, uma pérola única da herança porsche. Um automóvel que dificilmente se vê. O Porsche Type 32, de 1933 comissionado a Ferdinand pela NSU Motorenwerke AG. Porsche vai construir três exemplares, dois carroçados pela Drauze e o outro pela Reutter. Naquela célebre fotografia em que se vê um automóvel estacionado à porta do escritório de F. Porsche em Kronnenstrasse n.º 24, esse automóvel é precisamente um destes protótipos. O carro da fotografia (o protótipo n.º 1) pertenceu a um funcionário da NSU que o trocou em 1953, em muito mau estado, na fábrica da Volkswagen, por um carocha novo. Este automóvel encontra-se presentemente exposto no Museu da Volkswagen. Ainda nesta fotografia, à esquerda, podemos ver um motor de um avião, construído por Porsche para a Austro Daimler.




Foto: um raríssimo Volkswagen/KDF wagen de 1938. Dá ideia de ser o exemplar que pertence à família Porsche e que se encontra estacionado dentro das garagens da Porsche Villa em Stuttgart.




Foto: Auto Union Type C, de 1936 com os seus impressionantes 16 cilindros.



Foto: Esta fotografia é daquelas para guardar. Que carro é este? Ha...é o primeiro Porsche, aquele que devia ter a matrícula K45-286 antes do restauro que sofreu. Terá sido este o carro que construíram em Gmund?



Foto: aqui já é mais difícil a identificação. Para além do Porsche e do Lohner, da esquerda para a direita temos um Austro-Daimler 19/100 de 1927 e um Mercedes-Benz 630 K de 1929.




Foto: este acho que não engana: um supercharged Mercedes, em versão targa florio de 1924.




Foto: reparem nesta conicidência. Na fotografia anterior (do Mercedes) vê-se o busto de Ferdinand Porsche que foi encomendado para personificar a sua pessoa nestas comemorações dos 100 anos. A fotografia de baixo foi tirada por mim nos Arquivos Históricos da Porsche aquando da minha inesquecível visita (aqui). Na altura chamou-me à atenção o facto de existirem tantos magníficos bustos dos Porsche, esquecidos e arrumados em cima de um armário, num sítio privado. Afinal, o da esquerda (sei agora!!) é precisamente o que estava no pedestal.


__________________
ॐ नमःशिवाय
Responder com Quote